introdução

Força da água, queima de combustível, Sol, vento... Tudo isso pode dar origem forma de energia mais utilizada em todo o mundo: a energia elétrica (ou eletricidade). Mas, afinal de contas, o que é isso?

Tudo começa com o elétron, uma partícula que fica dentro do átomo, que, por sua vez, também é constituído de duas outras duas partículas chamadas próton e o nêutron. Então, de maneira geral, podemos dizer que o trio elétron, próton e nêutron forma o átomo, e que os átomos se unem para formar a matéria, ou seja, tudo aquilo que ocupa espaço e que forma o universo físico. A água, o ar e o nosso corpo, por exemplo, são formados por átomos.

O elétron é portador de uma carga elétrica negativa; o próton, de carga positiva; e o nêutron, como dá para imaginar pelo nome, tem carga neutra.

Quando um átomo possui a mesma quantidade de elétrons e de prótons, ele não tem carga elétrica. Mas, muitas vezes, elétrons ou prótons fogem do átomo, que passa a se chamar íon. Se esse íon tiver mais elétrons do que prótons, é negativo. Quando acontece o contrário, é positivo. Ou seja, os íons têm cargas elétricas. Tudo muito lógico, certo?

O assunto vai ficando ainda mais energizado se soubermos que em alguns materiais, como os metais, os elétrons se desgrudam dos átomos e ficam circulando livres, leves e soltos. Esses materiais são condutores de eletricidade. Se o material não tiver elétrons livres, é isolante, como no caso da borracha, do plástico e outros.

Ao unirmos dois objetos de cargas opostas (positiva e negativa) ligados por um condutor formamos um circuito elétrico. A diferença de potencial elétrico ou tensão elétrica criada entre cargas negativas e positivas é a chamada voltagem (Volt). Você já deve ter ouvido falar nessa palavra, lembre-se das pilhas! Pois saiba que as pilhas são pequenos geradores de voltagem, de certa forma, parecidos com aqueles gigantescos e ultra sofisticados que funcionam dentro das usinas de vários tipos.

Voltar
 
© Light 2009-2010. Todos os direitos reservados.