Acervo Light

Dia do arquivista

Você deve estar se perguntando o que é um arquivista e o que ele faz, né? Vamos te explicar

imagem do container principal

Dia do arquivista

Bem-vindo de volta, hoje falaremos sobre mais uma data importante, o dia do arquivista.

A data comemorativa é celebrada no dia 20 de outubro e tem o intuito de celebrar a criação do primeiro Arquivo Público do Brasil. Na referida data, no ano de 1823, o deputado Pedro de Araújo Lima apresentou uma proposta de criação do Primeiro Arquivo Público do Brasil para compor o projeto da constituinte, tendo sido atendido somente em 25 de março de 1824. Esta data também celebra a criação da AAB - Associação de Arquivistas Brasileiros, fundada no Rio de Janeiro em 1971.

Você deve estar se perguntando o que é um arquivista e o que ele faz, né? Vamos te explicar: arquivista é o profissional responsável por gerir, organizar e salvaguardar as informações contidas nos documentos produzidos pela sociedade no geral. Esse profissional deve estar apto a gerenciar as informações contidas nos documentos produzidos tanto por instituições públicas e privadas, como de pessoas físicas.  Para isso, é preciso cursar uma graduação ou curso técnico em Arquivologia, que segundo o Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística é a ciência responsável por “estudar as funções do arquivo e os princípios e técnicas a serem observados na produção, organização, guarda, preservação e utilização dos arquivos. ” 

No geral, as pessoas têm uma ideia deturpada do que é um arquivo, como um lugar onde se guardam os documentos sem utilidade, nesse sentido, a expressão “arquivo morto” é bem comum para elucidar o pensamento. No entanto esse conceito é equivocado, pois todo documento tem utilidade, e quando deixa de ter deve ser eliminado, sendo assim “arquivo morto” é uma coisa que não existe. Essa concepção é muito comum no Brasil pois a área não recebe a devida relevância, o que acarreta em sérios problemas não só para a gestão pública e privada como para a preservação da Memória Social. 

A lei de acesso à informação (Lei 12. 527) garante a sociedade brasileira acesso a documentação produzida ou armazenada nos âmbitos da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, e a garantia de cumprimento dessa lei só é possível quando se tem um arquivo plenamente organizado de acordo com as normas técnicas vigentes no Brasil, pois sem essa organização muitos documentos se perdem. Sem contar a perda inestimável para a Memória Social, quando se tratam de documentos permanentes (aqueles que não são eliminados por terem valor histórico), pois o que seria da história do desenvolvimento do Brasil sem os documentos que a remontam? 

Felizmente a Arquivologia tem se tornado cada vez mais necessária e conhecida, pois não pensem vocês que só porque a produção documental tem se tornado massivamente digital que nossos problemas acabaram. O papel do arquivista é importante nesse cenário pois a produção de documentos digitais por vezes é feita sem as devidas diretrizes técnicas de produção, armazenamento e salvaguarda.  

A título de curiosidade e para relembrar nosso primeiro texto desta aba, hoje o acervo Light conta com mais de 600.000 itens entre fotografias, recortes de jornal, documentos audiovisuais, etc., que remontam a história da empresa, do Rio de Janeiro e do Brasil. O acervo é aberto para pesquisa mediante solicitação por e-mail (acervo@light.com.br) e a equipe conta com dois profissionais qualificados que gerem todos esses documentos com a finalidade de preservar a Memória neles contida. 

Veja também