Agenda 2030 e os 17 Ods

ODS 1: Erradicação da pobreza

Como acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.

imagem do container principal

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de número um traz, para o planeta, um grande desafio: o da erradicação da pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares onde ela se fizer presente. 


Mas, ao falarmos de pobreza, é importante garantir que estejamos todos na mesma página sobre o assunto. A pobreza pode ser entendida como um cenário em que a pessoa viva com menos de US$8,00 dólares por dia, o que corresponde à realidade econômica de cerca de metade da população mundial. Em uma cenário de extrema pobreza, no entanto, esse valor cai para US$ 1,90 por dia e cerca de 11% dos seres humanos compartilham dessa situação econômica.


Esta dura realidade se faz sentir muito mais do que na carteira de cada indivíduo, se manifestando no prato de comida - tendo por consequência a fome e a desnutrição -, na falta de acesso à educação de qualidade e a outros serviços básicos, e tudo isso acaba por promover a discriminação e a exclusão sociais. 


Nesse sentido, o ODS 1 traz como primeira meta a erradicação da pobreza extrema até 2030. Adentrando os outros propósitos, temos: a diminuição, pela metade, da população que vive na linha da pobreza (definida de acordo com o contexto de cada país); a implementação de medidas e sistemas de proteção social em nível nacional, a direitos iguais aos recursos econômicos, o acesso a serviços básicos, propriedade e controle sobre a terra e outras formas de propriedade, herança, recursos naturais, novas tecnologias apropriadas e serviços financeiros; a construção da resiliência dos pobres e daqueles em situação de vulnerabilidade, e redução à exposição e vulnerabilidade destes a eventos extremos relacionados com o clima e outros choques e desastres econômicos, sociais e ambientais, o que passa por garantir uma mobilização significativa de recursos para implementação de políticas voltadas à erradicação da pobreza e a criação de marcos políticos sólidos a favor dos pobres. 

Em um mundo marcado por profundas desigualdades sociais, o ODS de número um estabelece metas ambiciosas, mas extremamente necessárias. Afinal, garantir um desenvolvimento sustentável pleno passa por, primeiramente, garantir que indivíduos acessem condições de vida minimamente dignas para que, assim, possam promover outras grandes transformações à sua volta. 


E talvez agora você esteja se perguntando a importância de saber disso, afinal, individualmente, acreditamos que podemos fazer pouco para mudar essa realidade. Mas cada um de nós pode contribuir na medida em que, munido dessas informações, pode pressionar os órgãos públicos e privados a caminhar em direção ao cumprimento das metas, além de, na medida do possível, doar recursos ou seu próprio tempo em prol dessa causa. Que tal essa ideia?


Nosso próximo texto versará sobre as metas do ODS de número dois, Fome Zero e Agricultura Sustentável. Não deixe de acompanhar.

Veja também